Conheça o programa Coração Aberto, destinado a atender pessoas em situação de vulnerabilidade social


Lançada neste domingo (2) por Paróquia da Asa Sul, iniciativa funciona há dois meses já tem quase 300 cadastros

Realizar a escuta qualificada, oferecer atendimento profissional e encaminhar pessoas socialmente vulneráveis aos locais corretos onde poderão ter as necessidades - sejam emergenciais ou estruturais -  atendidas. O propósito é ousado, mas tem se tornado real na Paróquia Sagrado Coração de Jesus e Nossa Senhora das Mercês. Trata-se do programa Coração Aberto que foi oficializado na manhã deste domingo (2), em uma cerimônia que contou com a presença do bispo auxiliar da Arquidiocese de Brasília, dom Marcony, e de representantes de entidades parceiras da iniciativa. Coordenada pelo pároco e idealizador do programa, frei Rogério, a celebração serviu também para que a comunidade recebesse uma espécie de prestação de contas dos trabalhos sociais desenvolvidos pela igreja a partir das doações dos fieis em várias frentes e um convite para continuar participando do trabalho. 

	A primeira apresentação do “Coração Aberto” foi  no encerramento da missa das 10 horas. Ao lado de Dom Marconi, frei Rogério informou que o programa vem sendo realizado há dois meses e que, já conta com 283 cadastros. “Em média, temos atendido 15 pessoas todos os dias e graças à doação de vocês, todos recebem ajuda e orientações”, disse. Em uma projeção, foram exibidos os principais dados reunidos pela equipe que faz os atendimentos. Um dos dados trata da  origem das pessoas que buscam ajuda. A maioria vem da Vila Telebrasília (33,1%), pessoas em situação de rua representam 10,4% dos atendidos. Também há registro de pessoas de outras regiões administrativas como São Sebastião (7,2%) e Samambaia (8,6%). Outros 5,8% revelaram morar na Vila Cultural.

	Dom Marcony ressaltou a importância do programa como mais uma iniciativa que se junta aos trabalhos sociais da Diocese da Capital na defesa da dignidade humana. E reforçou o pedido de ajuda. “Ajude-nos para que possamos ajudar quem está precisando.  Nós, que somos mais agraciados, devemos responder à pergunta bíblica: ‘Senhor, quando foi que te servi’. Esse projeto é uma oportunidade que nos é dada”, resumiu. Ele lembrou que, apenas no Distrito Federal, os registros oficiais apontam a existência de mais de 2 mil pessoas em situação de rua. Muitos, são profissionais que com a pandemia, não têm o que levar para casa. 

	O bispo participou do corte simbólico a fita na porta de entrada do espaço onde são feitos os atendimentos, uma sala que foi reformada e preparada para receber as pessoas, abençoou o local e reforçou a importância da assistência aos vulneráveis. “Quando eles nos vem, eles nos permitem enxergar nossas misérias para avançarmos rumo a Deus”, resumiu, completando que Jesus nos fortalece na prática da caridade e que Maria nos convence a fazer o bem. 

	Em sua fala – que também  se repetiu nas demais celebrações dominicais – frei Rogério lembrou que programa reúne um conjunto de iniciativas e que tem como diferencial parcerias firmadas tanto com órgãos públicos quanto com a iniciativa privada. Lembrou ainda que, embora haja ações emergenciais como a doação de cestas básicas ( principal demanda registrada hoje), o programa se preocupa com o resgate da dignidade da pessoa, de forma que ela possa retomar o controle da própria vida.  “O nosso lema é levanta-te e anda”. Não fazemos nada sozinhos. A pessoa deve querer e participar do próprio resgate”, enfatizou.

	Ao explicar o alcance do programa, frei Rogério fez questão de agradecer e listar parceiros como a Secretaria de Segurança Pública do Governo do Distrito Federal, as diversas pastorais da comunidade, os responsáveis pela administração do Recanto Mercês, obra de caridade mercedária que fica em Alexânia (GO) e atende a dependentes químicos, administradores regionais, entidades como o Salve a Si, além de profissionais liberais e a comunidade que contribui com recursos seja no  dízimo  ou nas coletas das missas. “Esse projeto é todo pela nossa paróquia. São recursos de vocês”, disse, dirigindo aos presentes.
 
	Entre as iniciativas reunidas no Coração Aberto, estão o Art´brechó, inaugurado no início de 2021 e que permite a venda de roupas, calçados e peças de artesanato de excelente qualidade a preços baixos. Instalado em uma das salas da paróquia, o brechó é resultado de doações de fieis e a cada dia atrai mais clientes. Outra frente de atuação social que tem se consolidado é o Petas do Frei, cujo principal propósito é assegurar renda a quem precisa. “Sem burocracia, a pessoa se cadastra, pega os biscoitos, vende como e para quem quiser, e depois, acerta as contas, ficando com o seu lucro”, resume o frei. O programa inclui a Feirinha Solidária cujo lema é “pegue o que lhe falta e deixe o que lhe sobra”. Desde 2020, a iniciativa é  mais uma frente que garante alimento e dignidade a pessoas acolhidas na Paróquia. 

Convite- Nas apresentações do programa frei Rogério fez um convite para que profissionais como advogados, professores, psicólogos, médicos, entre outros possam entrar para a rede de parceiros abrindo as suas agendas para atendimentos sociais. Conforme explicou, basta que o interessado repasse informações como contato e a disponibilidade de atendimento para o responsável pelo atendimento que é feito de segunda a sexta-feira sempre no período da manhã. Também presente na cerimônia, Stevão Randolfo, o responsável pelos atendimentos, relatou a satisfação pelo trabalho realizado, agradeceu a oportunidade e prometeu avançar no atendimento fraterno e de forma profissional. “ Temos atendido desde pessoas que precisam de alimentos, como pessoas que querem orientação a outros que buscam formalização de seus negócios e seguridade social”, completou.

Dom Marcony abençoa sala de atendimento do programa Coração Aberto

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *