Paróquia de Brasília distribui 5 mil cestas básicas em 4 meses


A Iniciativa foi lançada na Paróquia Sagrado Coração de Jesus e Nossa Senhora das Mercês, na Asa Sul, e, há dois meses, integra o Serviço Fraterno Santa Dulce dos Pobres.

Há exatos quatro meses, em 21 de março, a Paróquia Sagrado Coração de Jesus e Nossa Senhora das Mercês iniciou uma campanha para arrecadar alimentos e distribuir para famílias atingidas pelos efeitos da pandemia da covid-19. A providência foi adotada logo após o anúncio do primeiro decreto com regras de isolamento social. “Sentimos, desde o início, que seriam tempos difíceis, muitos perderiam seus postos de trabalho e haveria grande fome, então nos antecipamos numa campanha de arrecadação de alimentos”, explica frei Rogério Soares, pároco da igreja e responsável pela iniciativa.

Ainda de acordo com o frei, não demorou para que muitas famílias batessem à porta da igreja em busca de comida. “Naquele momento assumi o compromisso que ninguém passaria privação de alimentos no entorno da Paróquia, que compreende a Vila Telebrasília e a Vila Cultural”. Desde então, são 260 cestas por mês para as duas comunidades.

O quadro de dificuldades verificado na paróquia que fica na Asa Sul (quadra 615 da avenida L2) se repete em todo o Distrito Federal. Tanto que há dois meses, a Paróquia Sagrado Coração de Jesus e Nossa Senhora das Mercês foi convidada para fazer parte de um grupo, com a missão de arrecadação cestas básicas para toda cidade de Brasília. Com isso, nasceu então, o Serviço Fraterno Santa Dulce dos Pobres, em união com o Santuário São Francisco dos Pobres e alguns jovens.

Desde o dia 21 de março, foram arrecadadas 5 mil cestas básicas, que chegaram a moradores de várias regiões administrativas como Ceilândia, Estrutural e Samambaia. Em um cálculo aproximado, foram 75 toneladas de alimentos distribuídos por cerca de 50 paróquias. Ao fazer uma espécie de balanço da campanha, o pároco da Igreja Sagrado Coração de Jesus, frei Rogério Soares
explica que padres que atendem nessas regiões notaram um aumento expressivo no número de necessitados. “Pessoas que nunca precisaram de ajuda passaram a procurar as igrejas e foram cadastradas”, pontua.

Entre esses “novos necessitados”, estão profissionais como manicures, motoristas de aplicativo, vendedores e autônomos que se viram sem recursos para comprar o básico. Na outra ponta, a percepção de frei Rogério foi decisiva para apostar na arrecadação de alimentos. “Em vi um grande potencial de arrecadação porque muitos fieis de nossa paróquia são servidores públicos, militares e outros profissionais que não tiveram seus salários impactados pela pandemia e, portanto, poderiam se sensibilizar”, pontua. Os alimentos têm chegado diariamente ao galpão paróquia vindos de várias frentes, não apenas de paroquianos, que se tornaram doadores frequentes. Há também quem faça ações entre amigos para arrecadar cestas básicas, além de empresas e até do Governo do Distrito Federal (GDF), que repassou 570 cestas para o Serviço Fraterno Santa Dulce dos Pobres.

Feirinha- Também está completando quatro meses uma segunda iniciativa colocada em prática pela paróquia Sagrado Mercês em tempos de pandemia. Trata-se de uma feira livre, que trouxe de volta o princípio do escambo. “As pessoas trazem o que têm de sobra e levam o que está faltando em casa, É muita graça de Deus”, avalia frei Rogério. Montadas em estrutura simples, nas ruas das vilas Telebrasília e Cultural, as feirinhas acontecem de segunda a sábado, sempre das 10hs às 14hs. “Costumo dizer que é uma solução antiga para um problema novo. Temos a satisfação de dizer que deu certo. É uma forma de ajuda rápida para que ninguém passe privação”, conclui.
Serviço:

Como ajudar o Serviço Fraterno Santa Dulce dos Pobres:

Basta procurar a Paróquia Sagrado Coração de Jesus e Nossa Senhora das Mercês na avenida L2 Sul quadra 615, entre os colégios Maristão e Cor Jesu. Também pode ser e do Santuário São Francisco de Assis, na quadra 915, da Asa Norte.

Podem ser doadas cestas prontas ou alimentos separados. A campanha não tem data para terminar.

Mais informações: Frei Rogério Soares – 61 8348-8879

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *