Conselho Econômico faz prestação de contas de 2019


 

Conselho Econômico faz prestação de contas de 2019  da Paróquia Nossa Senhora das Mercês e Sagrado Coração de Jesus

Informações foram apresentadas nas missas deste fim de semana, dias 15 e 16,  e estão à disposição da comunidade

Transparência e  agradecimento. Com esses dois propósitos o Conselho Econômico da Paróquia Nossa Senhora das Mercês e Sagrado Coração de Jesus apresentou neste fim de semana a prestação de contas de 2019.  Os principais dados financeiros foram mostrados à comunidade no final de todas as missas. Dispostas em forma de gráficos e  tabelas, as informações revelaram as principais fontes de receita e de despesas registradas ao longo do ano passado. Também foram apresentados dados comparativos com os registros de 2018, para que a comunidade possa acompanhar a evolução tanto dos valores arrecadados quanto das despesas e investimentos feitos no período.

Responsável pelas apresentações, João Batista, que integra o Conselho Econômico, iniciou com um agradecimento à comunidade pelas doações e também pela participação ativa nos muitos eventos e iniciativas desenvolvidos na paróquia. Também destacou a orientação permanente do pároco, Frei Rogério,  em relação, não apenas  à correta administração e registro de toda a movimentação financeira como também na defesa da transparência das informações. Ele lembrou que todos os dados e documentos estão à disposição da comunidade. A paróquia foi pioneira ao criar o conselho econômico em 2018, um ano antes de a arquidiocese recomendar que todas as comunidades o fizessem.

Conforme a apresentação, em 2019, a principal fonte de receita da paróquia foi o dízimo, que representou 45,98% do total arrecadado. Na sequência aparecem: doações de pessoas físicas, com 15.37%; festas e outras atividades, com 13,76%;  os valores arrecadados pela venda de souvernis 12,16% ; coleta de missas 11.79%  e  o bazar realizado aos sábados, que respondeu por 0,94% .

Em relação às despesas, o grupo que teve maior peso foi o das medidas administrativas e de evangelização. Para estas finalidades foram destinados 43,21% dos valores arrecadados. Em segundo lugar aparece a arquidiocese e o clero com 28% total;  e os encargos trabalhistas que representaram 16,75%.  Na apresentação, também foram mostrados os percentuais gastos com outras despesas como contas de água, energia, telefone e casa paroquial.

Em comparação com 2018,  no ano passado  houve um incremento de 34,2% no valor total arrecadado.Com o aumento nominal e a redução de algumas despesas como conta de energia (saiu de 4,80% em 2018 para 3,53% em 2019) e os gastos com a casa paroquial (  10,96% em 2018 e 6,92% no ano passado) foi possível  concretizar investimentos importantes. A lista de ações implementadas no período e que foram destacadas na apresentação inclui, entre outras  a reforma das salas de apoio, o acompanhamento da comunidade São Raimundo Nonato, a troca de equipamentos de som, a pintura interna da igreja e a implementação da pastoral social.

Em relação às atividades sociais, Frei Rogério adiantou que a intenção é ampliar a quantidade de serviços e o número de atendimentos disponibilizados à comunidade. Como exemplo, ele lembra a Ação Social dos Talentos, realizada em fim do ano passado, quando mais de 200 pessoas foram atendidas no período em uma manhã de sábado.  Neste momento, segundo adiantou, uma das metas é contratar uma assistente social para orientar pessoas carentes que procuram a igreja diariamente. Para isso, ele  lembrou que conta com o envolvimento de toda a comunidade, reiterando os agradecimento pelas doações feitas no ano passado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *